quinta-feira, 30 de abril de 2009

THE NIGHT OF THE HUNTER, fotografia Stanley Cortez

video

Posso escrever os versos mais tristes esta noite

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe".
O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.

Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.

Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo

.
Pablo Neruda

La Feria, Sevilha






Juntamente com a Semana Santa, a Feira de Abril é o momento mais esperado do ano em Sevilha. São quase duas semanas de festa, de dança, de diversão, que atraem milhares e milhares de turistas, duas semanas que os sevilhanos vivem com autêntica paixão.
A Feira de Abril, ou Feira Real de Sevilha, decorre nesta cidade há mais de 150 anos e desde o seu início que o mês de Abril tem sido o mês escolhido. Desde o princípio que teve uma vocação de feira de gado, característica esta que, a pouco e pouco, foi crescendo. No princípio, decorria durante 3 dias, mais tarde durante 5 e desde há um século que a feira é aquilo que é actualmente, quase duas semanas de relax, de descanso e de férias. A Feira de Sevilla é um espectáculo musical, com as Sevilhanas como música principal. É um espectáculo de luz, com mais de 400000 lâmpadas acesas, de candeias de papel, de trajes de cigana, de touros e, claro, de futebol, uma vez que o Betis e o Sevilla estam presentes em todos os cantos. As barracas de feira, a música, os convidados, o presunto e o "rebujito", os trajes de cigana, a diversão, as barracas privadas e as barracas de acesso livre a todos os que queiram refrescar-se, tudo isto situa-se num espaço reduzido, ideal para viver algo diferente, ideal para viver algo pela primeira vez. Pode dar um passeio a cavalo pelo recinto da feira, pode visitar as suas barracas, pode viver o seu ambiente, pode provar a sua comida e apreciar a gastronomia sevilhana. Tudo isto é, de facto, uma actividade cheia de interesse, que pode realizar durante as suas férias, na Feira de Abril de Sevilha.

domingo, 26 de abril de 2009

video

Klee

"Uma pessoa encontra o seu estilo quando não consegue atuar de outro modo". Paul Klee

Khalil Gibran



O AUTO-CONHECIMENTO
Então, um homem se dirigiu a ele:
Fala-nos do conhecimento de si.
E ele respondeu:
.
Os vossos corações conhecem, no silêncio,
os segredos dos dias e das noites.
Mas os vossos ouvidos têm sede de ouvir, no final,
o eco do saber dos vossos corações.
Gostaríeis de saber pelo verbo
o que sempre soubestes pelo pensamento.
Gostaríeis de sentir com os dedos
o corpo nu dos vossos sonhos.
E está certo que assim o queirais.
A fonte oculta da vossa alma deve necessariamente
jorrar e correr, murmurando, até o mar;
e o tesouro das vossas profundezas infinitas
deve revelar-se aos vossos olhos.
Mas que não haja balança
que pese o vosso tesouro desconhecido;
e não procureis explorar os abismos do vosso saber
com a vara ou com a sonda,
pois o eu é um mar sem limites e sem medida.
Não digais: «Encontrei a verdade»,
mas antes: «Encontrei uma verdade.»
Não digais: «Encontrei o caminho da alma.»
Mas antes: «Cruzei-me com a alma no meu percurso.»
Pois a alma caminha por todas as vias.
A alma não anda sobre uma linha
nem se alonga como uma vara.
A alma abre-se a si mesma,
como se abre um lótus de incontáveis pétalas.


Khalil Gibran

Manuel Bandeira

....................A ESTRELA

.......................Vi uma estrela tão alta,
.......................Vi uma estrela tão fria!
.......................Vi uma estrela luzindo
.......................Na minha vida vazia.

.......................Era uma estrela tão alta!
.......................Era uma estrela tão fria!
.......................Era uma estrela sozinha
.......................Luzindo no fim do dia.

.......................Por que da sua distância
.......................Para a minha companhia
.......................Não baixava aquela estrela?
.......................Por que tão alta luzia?

.......................E ouvi-a na sombra funda
.......................Responder que assim fazia
.......................Para dar uma esperança
.......................Mais triste ao fim do meu dia.

.......................Manuel Bandeira

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Bonequinhas Guatemaltecas

Worry-dolls ou bonecas da preocupação.
Segundo a lenda indígena guatemalteca se você tiver um problema, basta contar às bonequinhas, e depois deve colocar a caixinha embaixo do seu travesseiro. Enquanto você dorme, elas levam todas suas preocupações embora.

domingo, 19 de abril de 2009

ÓBIDOS



A vila de Óbidos guarda séculos de história entre as suas muralhas. Com um vasto património de arquitectura religiosa e vestígios histórico-monumentais, a vila de reis e rainhas foi, noutros tempos, local de preferência para descanso ou refúgio das desavenças da Corte. D. João IV e D. Luísa Guerra, D. Pedro II e D. Maria I, D. Leonor, D. Catarina de Áustria e D. Carlos, foram alguns dos monarcas que passaram por estas terras deixando, de uma forma ou de outra, marcas que a vila ainda hoje mantém. A origem da vila de Óbidos remonta ao século I, à cidade de Eburobrittium. Romanos, visigodos e árabes foram povos que marcaram presença por estas paragens. O ano de 1148 marca a tomada aos mouros de Óbidos, sendo em 1210 doada por D. Afonso II à Rainha D. Urraca. O primeiro condado de Óbidos é instituído em 1636 e, sete anos mais tarde, D. João IV manda reparar novamente as muralhas.


clique sobre a imagem para ampliar




MÁSCARAS DA ÁSIA, Museu do Oriente


clicar para ampliar

Na galeria de exposições temporárias, a mostra "Máscaras da Ásia", composta por mais de 200 máscaras da Índia, Sri Lanka, Tailândia, China, Coreia e Japão.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Fotos da gaveta - Verão 2005

ZARAGOZA

Saint-Quentin La Poterie

clique para ampliar




Cirque de Navacelles


Uzès


Gorges du Verdon

Vancluse-Luberon


Gordes

Avignon

Pont du Gard - Uzès




Pirinéus

Riglos


Siguenza






sexta-feira, 10 de abril de 2009

SHAKERS


A Comunidade Shaker data do fim do século XVIII – um grupo cristão, fundado nos EUA por Ann Lee, imigrante vinda da Inglaterra. A designação oficial é «The United Society of Believers in Christ’s Second Appearing». Originaram deste movimento cerca de 20 comunidades Shaker, na Nova Inglaterra, no Kentucky, Ohio e Indiana. Implantado o celibato como regra de vida geral, o crescimento verificou-se por adopção de novos membros, vindos do mundo exterior. T0da a propriedade era colectiva. Supostamente, hoje restam apenas 6 (seis) Shakers praticantes.Com base numa economia auto-suficiente, todos os móveis, ferramentas e meios de produção eram fabricados artesanalmente (mais tarde, em regime semi-industrial) na comunidade, para seu próprio uso ou para venda externa; deviam de ser realizados conscientemente, o melhor possível, simples e sem elementos supérfluos, como, por exemplo, decorações. Todos os objectos deviam corresponder ao seu entorno e à sua finalidade.


Os Shakers creditavam na função do objeto mais que no valor decorativo, o móvel deve ser simples, útil e muito bem feito, perfeito no acabamento, possibilitando a limpeza da casa. Para os shakers o trabalho é a oração.

.
As actividades e características destas comunidades definem-se pelas palavras-chave: colectivismo cristão, autarquia, economicamente indepen­dentes até 1932; vendas de sementes, preparados hortícolas, móveis e objec­tos para o exterior. Ao contrário dos Amish, verificou-se uma aceitação das inovações tecnológicas julgadas úteis.
Conceitos de referência: perfeição, pureza, ordem, simplicidade, dura­bilidade, funcionalidade, utilidade. Na produção de excelentes móveis de madeira, perfeitamente adequados às suas funções, detec­tamos as bases do Funcionalismo. E as origens do ecodesign, o design ecológico, obviamente.
O uso das cores era codificado: camas, cinzento; traves­seiros, cores discretas, semi-estampados ou letras; cober­tores e edredons, azul e branco.
Sacralizando o use value, a utilidade, o objecto materia­lizado deve ser perfeito: «a utilidade é a beleza», «a sim­plicidade encarna a pureza e a unidade», «a ordem deve reinar e as formas inúteis devem ser banidas».

De modo geral, os produtos Shaker caracterizam-se pela sua simplicidade, rigor e pela qualidade na escolha das matérias-primas e na produção. O resultado: perfei­ção, aliada a uma estética minimalista incontestável. Os Shaker são especialmente conhecidos pelo seu estilo de marcenaria e carpintaria, entre os apreciadores do vintage design – o estilo conhecido como Shaker furniture. Cadeiras de tipo Shaker foram produzidas em grandes séries, já que os serviços religiosos das comunidades eram feitos na presença de todos os membros, sentados.
Por volta do tempo da Guerra Civil Americana, os Shaker da comunidade de Mount Lebanon, Estado de Nova Iorque, aumentaram significativamente a sua produção de cadeiras e a venda para o exterior. Foram tão bem sucedidos, que várias grandes empresas de móveis passaram também a fabricar e vender as suas versões de «Shaker Chairs». Devido à óptima qualidade artesanal das cadeiras originais, uma peça de mobiliário Shaker atinge altíssimos preços.




In 1816, os Shakers inventaram o conceito de embrulhar as sementes de produtos hortícolas que vendiam em pequenos envelopes de papel, como hoje todos os comerciantes o fazem. Caixas de madeira, cobertas de impressões coloridas, faziam o marketing de um produto famoso não só nos EUA, como em todo o mundo.Por último, as sementes eram guardadas em arcas de madeira, para as proteger da humidade e do bolor, preservando as suas qualidades.
.
Fonte: Cadernos de Tipografia